Vídeos

URGENTE VEJA




" });

Notícias em Foco

Mundo dos Esportes

Noticias Itaocara e Região

Saúde em Ação

OS ÚNICOS QUEM?

OS ÚNICOS QUEM?
CLICK NA FOTO

Galeria de Fotos

» » Presidente do PP anuncia saída da base aliada e entrega de cargos

Maioria dos deputados se manifestou a favor do impeachmemt de Dilma

BRASÍLIA — O presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI), anunciou nesta terça-feira que o partido deixará o governo formalmente, entregando imediatamente o Ministério da Integração Nacional, comandado por Gilberto Occhi, e a presidência da Companhia de Desenvolvimentos dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), ocupada por Felipe Mendes. A decisão foi anunciada após reunião da bancada do PP na Câmara, em qua a maioria se manifestou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

- É uma decisão que eu não defendia, não vou negar. Eu defendia até o momento de hoje a permanência do partido na base de sustentação da presidente. Mas não me cabe outra alternativa, como seu presidente, que não acatar a decisão. Então hoje, o partido solicita aos seus quadros que pertencem hoje ao governo da presidente Dilma Rousseff a carta de renúncia desse membros. Os dois mais emblemáticos eu já comuniquei, o ministro Gilberto Occhi e o presidente da Codevasf, Felipe Mendes, que têm cargos de extrema confiança do partido. Eu pedi que fizessem suas cartas. E eles prontamente atenderam para que pudessemos remeter e colocar todos os outros cargos à disposição da presidente Dilma, como gesto de grandeza do partido e também de lealdade - justificou.

Nogueira disse que agora buscará a unidade da bancada em apoio ao impeachment, mas que não haverá sanções a quem votar contra.

- Eu não vejo como, se o partido está tomando hoje a decisão de romper com a presidente, nós podemos permanecer com cargos indicados pelo partido. Está tomada a decisão, agora vamos buscar a unidade na votação de domingo. A decisão da bancada da Câmara é que haja a entrega dos cargos, o desembarque do governo. Mas o partido não vai perseguir ou penalizar qualquer pessoa que por ventura divirja dessa decisão da maioria.

Na reunião da bancada do partido - que era o maior da base aliada de Dilma desde a saída do PMDB - 37 dos 47 deputados apoiam o impeachment. Nove deputados votaram contra, e um não se pronunciou.

— Nós, da bancada do PP na Câmara, após extensa reunião, decidimos primeiro pela unidade da bancada e deliberamos uma decisão que sei que é histórica, mas que visa sobretudo a unidade partidária. Vamos sair daqui para o gabinete do presidente do partido para comunicar que a maioria absoluta deliberou pelo encaminhamento no plenário pelo voto sim ao Impeachment — disse o líder do PP, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB).

Aguinaldo Ribeiro defendeu a permanência na base. Mas, argumentou que, caso o partido decida por maioria deixar a base, terá de entregar o Ministério da Integração.

— Não dá para fazer como o PMDB, que desembarcou do governo e continuou com os ministérios — afirmou.

No fim da tarde, o PRB, que também integrava a base de Dilma até meses atrás, inclusive com o comando do Ministério do Esporte, fechou questão a favor do impeachment. >>>>FONTE

«
Next
»
Previous