Vídeos

URGENTE VEJA



" });

Notícias em Foco

Mundo dos Esportes

Noticias Itaocara e Região

Saúde em Ação

OS ÚNICOS QUEM?

OS ÚNICOS QUEM?
CLICK NA FOTO

Galeria de Fotos

» » ‘Fui eu que entreguei o processo aos repórteres’, diz Crivella sobre reportagem da ‘Veja’

RIO - O candidato à prefeitura do Rio, Marcelo Crivella (PRB), minimizou a reportagem de capa da revista “Veja” em que aparece uma foto do político fichado na 9° delegacia (Catete), em 1990. Crivella afirmou em um comício, neste sábado, realizado no Centro de Convivência de Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio, que ele mesmo cedeu à reportagem o inquérito sobre o caso.

— Vocês imaginem, logo eu, pastor evangélico preso (risos). O que aconteceu é que eu sou engenheiro e fui chamado para fazer uma inspeção em um muro velho, que podia cair e machucar as pessoas. Desci do carro para bater umas fotos do lado de dentro do terreno. Quando tentei entrar as pessoas me impediram, achando que eu estava ali para retirá-las, criaram uma confusão. Fomos para a delegacia, e o delegado arbitrariamente fichou todo mundo. Não houve processo. Depois eu é que processei o delegado (João Kepler) Fontenelle por abuso de autoridade. Mais tarde ele me pediu desculpas, eu retirei o processo e perdoei.

O senador não conversou com O GLOBO ao fim do ato de campanha. Durante o comício, porém, ele afirmou que recebeu os repórteres de “Veja” em sua casa:

— Os repórteres da Veja, na quinta-feira, me ligaram com aquela voz de chantagem, de ameaça, de quem tem uma bomba para publicar. Foram até a minha casa com um envelope na mão, dizendo que tinham uma foto para me mostrar. Eu perguntei se a minha mulher poderia ver a foto comigo, eles disseram que sim. Então chamei a minha mulher e disse ‘mostra’.

Segundo Crivella, os repórteres levaram fotos e um documento relativo ao caso.

O rapaz puxou a fotografia do envelope e me perguntou: “esse é o espinho que o senhor tem na carne?” citando uma passagem bíblica — disse o candidato do PRB. — Fui no quarto, peguei uma caixa cheia de fotos que eu tenho e tirei o processo. Entreguei, com fotos de tudo. Eles pediram para levar para a Veja e eu deixei. Eu que entreguei o processo a eles.

JOVENS ARMADOS QUESTIONAM EQUIPE

A caminho do evento, a reportagem do GLOBO foi parada por um rapaz com um revólver, na região da Vila Vintém. Ele questionou o destino da equipe, que passava pelo local. Em seguida, outros dois homens — um deles com cano de um fuzil saindo pela janela da porta do passageiro — chegaram em um carro.

Após a explicação de que buscava o local do comício, os homens se desculparam e comunicaram, via rádio, que a reportagem buscava um endereço. Eles ensinaram o caminho e se desculparam, acrescentando que aquele era o “procedimento” e que, na comunidade, não faziam “covardia”.

CANDIDATO CRITICA ENSINO SOBRE DIVERSIDADE SEXUAL

Marcelo Crivella também criticou a chamada “ideologia de gênero” nas escolas municipais. O senador respondeu a 22 perguntas feitas pelo vereador Paulo Messina (PROS) sobre educação e tirou foto com professores.

Ele foi aplaudido ao dizer que não vai permitir que educação sexual se torne uma disciplina nas escolas do município.

— Não é natural dizer a uma criança que ela tem que experimentar para saber se gosta de menino ou menina. A família brasileira não vai permitir isso.

O candidato do PRB também prometeu novos concursos para a educação e afirmou que vai lutar contra qualquer tipo de intolerância contra homossexuais.

Crivella aproveitou para criticar os adversários políticos Marcelo Freixo (PSOL) e Pedro Paulo (PMDB), dizendo que “é melhor encher a Cinelândia com professores do que com black bloc maconheiro” e que tenta o pleito há muito tempo:

— Bato na trave, mas não bato em mulher.

Pedro Paulo (PMDB), terceiro candidato mais votado no primeiro turno da eleição no Rio, enviou uma nota após a declaração do senador. “Em resposta à declaração caluniosa e inverídica do senador bispo Marcelo Crivella, Pedro Paulo informa que entrará com uma representação contra o candidato do PRB. Pedro Paulo lembra que quem deve explicações à Justiça e principalmente ao eleitor carioca sobre revelações recentes a respeito do passado obscuro e de ações que demonstram intolerância, violência e desequilíbrio é o candidato Crivella”, diz o comunicado. >>>>>FONTE


«
Next
»
Previous